tal

Processos alérgicos (ou atópicos), frequentes causadores de problemas respiratórios, são desencadeados pelo contato entre certas proteínas do ambiente, os "alergenos", e proteínas específicas do organismo das pessoas alérgicas.

A maneira mais simples e eficaz de se diagnosticar a atopia é provocar uma reação alérgica em condições controladas. Basicamente, coloca-se pequena quantidade de alergenos conhecidos em contato com uma parte da pele e observa-se a reação ocorrida.

O exame é efetuado com segurança somente depois dos 3-4 anos de idade.

A técnica mais empregada internacionalmente — e também em nosso meio — é a puntura ou escarificação da pele no local em que o alergeno foi colocado. Após alguns minutos, quando o subcutâneo reage ao alergeno, forma-se uma pápula, pequeno caroço avermelhado e muito pruriginoso.

No consultório, utilizo uma leve escarificação puntiforme e os alergenos padronizados para doenças respiratórias preparados pela Alergofar. Compara-se então a pápula formada 20 min depois por cada um dos alergenos testados, em comparação com o controle positivo (histamina) e o controle negativo (água).

Na interpretação dos resultados, sigo as recomendações da Academia Européia de Alergologia e Imunologia Clínica (publicações de 1989 e 2012, ver bibliografia).

Preparo

Depois de agendar o exame, comece o preparo alguns dias antes: basta evitar remédios para alergia (anti-histamínicos e corticóides) nos dias anteriores.

Bibliografia

Sub-Committee on Skin Tests of the European Academy of Allergology and Clinical Immunology, Skin tests used in type I allergy testing Position paper. Allergy. 1989;44 Suppl 10:1-59
Bousquet J, Heinzerling L, Bachert C et al. Practical guide to skin prick tests in allergy to aeroallergens. Allergy 2012; 67:18–24